Medicina do Sono

É a indução do sono com propósitos psiquiátricos, é uma área da saúde que estuda as funções do sono, os seus distúrbios e o impacto destes distúrbios na vida dos indivíduos.

Segue a baixo um resumo do processo terapêutico, suas ferramentas e desenvolvimento na clínica, usando uma abordagem eficaz e que lhe trará resultados a curto e médio prazo.

 

  1. DIÁRIO DO SONO (PRINCIPAL FERRAMENTA): 

Diário de monitorizarão do sono é um método que responde perguntas simples como: “Que horas foi para a cama?” e  Quando foi a última refeição” entre outras. O resultado desta ferramenta levará a melhor análise nas psicoterapias e na aplicação de outras técnicas como a higiene do sono. 

Imagem 

 

  1. HIGIENE DO SONO 

São orientações de extrema eficácia que levará o paciente a ter controle e total domínio a bons hábitos de eliminação de estímulos e de excessos, que o levam à ansiedade generalizada e consequente distúrbios relacionados ao sono. Segue algumas orientações a serem trabalhadas nas sessões de psicoterapia: 

1– Estabeleça um horário regular para dormir e para acordar; 
2 –Se você possui o hábito da sesta, não exceda 45 minutos; 
3 –Evite ingerir bebidas alcoólicas 4 horas antes do horário de dormir e não fume; 
4 –Evite ingerir bebidas com cafeína (café, chá preto, refrigerantes de cola, chocolate) 6 horas antes do horário de dormir; 
5 –Evite refeições pesadas, excessivamente picantes ou adocicadas 4 horas antes do horário de dormir; 
6 –Faça exercícios físicos regularmente mas não próximo do horário de dormir; 
7 –Durma em uma cama confortável; 
8 –Encontre uma temperatura ambiente confortável para o sono e mantenha o quarto bem ventilado; 
9 –Elimine todos os ruídos do quarto e mantenha o quarto o mais escuro possível; 
10 –Reserve a sua cama apenas para dormir e ter relações sexuais, evitando usa-la para o trabalho ou fazer refeições; 

Fonte: WASM – World Association of Sleep Medicine. 

 

  1. RELAXAMENTO MUSCULAR PROGRESSIVO 

Segundo Jacobson “Dentro de um corpo relaxado não pode haver uma mente nervosa. Este método desenvolve uma consciência muscular no paciente, antes mesmo que entenda os processos psicológicos envolvidos. Toma consciência da tensão acumulada de cada músculo e aprende a soltar tais tensões com naturalidade conforme o amadurecimento nas sessões realizadas.  

Este método é de grande importância para o tratamento de distúrbios do sono como: dos diversos tipos de insônia, síndrome das pernas inquietas, dentre outros. 

 

  1. TREINO IMAGINÁRIO 

Neste processo o paciente é levado a formular gatilhos ambientais para criar imagens vívidas dos estímulos que o prejudicam na sua saúde do sono. Logo é levado a uma reestruturação cognitiva, através de paradas de pensamentos ou outro método da TCC para diminuir a ansiedade e dissipar as imagens negativas pré-sono. 

 

  1. PSICOEDUCAÇÃO 

A psicoeducação se apresenta como um modelo eficaz para adesão ao tratamento psicofarmacológico, melhor compreensão e entendimento dos distúrbios, menor número de recaídas e internações, aumento do funcionamento social bem como para um melhor manejo de situações de crise e sentimentos de culpa. 

 

  1. CONTROLE DE ESTÍMULO 

O princípio do controle de estímulo, uma das mais efetivas medidas da TCC, se baseia no fato de que o ato de dormir não está positivamente associado ao ambiente e ao horário de se deitar. O objetivo é associar o quarto e a cama ao rápido início do sono, eliminando associações negativas como preocupar-se com eventos do dia que passou ou planejar as tarefas do dia seguinte. Setenta por cento dos pacientes que apresentam insônia inicial se beneficiam desta técnica após um ciclo de cinco a dez noites. 

 

  1. TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL 

psicoterapia cognitiva-comportamental é uma modalidade psicoterapêutica que foca nos pensamentos, emoções e comportamentos disfuncionais com um objetivo direto de alterar e corrigir essas distorções dentro de um limitado período de tempo. 

O objetivo da psicoterapia cognitiva-comportamental é ensinar aos pacientes técnicas de autocontrole dos níveis de tensão e ativação emocional e cognitiva, baseando-se no fato de que o comportamento humano é fruto de aprendizado e pode ser controlado e modificado. 

 

 

 

 

  1. RESTRIÇÃO DO SONO 

 

O objetivo é consolidar o sono por meio da restrição do tempo que o paciente passa na cama. O paciente deve permanecer na cama o número de horas estimado de sono por noite registrado pelo diário de sono em uma semana de sua rotina habitual pré-tratamento. Calcula-se quanto tempo de sono realmente ocorre devendo permanecer na cama por, no máximo, seis horas e, no mínimo, cinco horas por noite.  A restrição de sono produz privação de sono, aumentando o fator homeostático, que faz o paciente dormir mais rápido, consolida o sono e com isso diminui a tensão, diminui a variabilidade entre as noites e a expectativa antes de dormir. Depois de cerca de sete a dez dias de restrição de sono, o paciente deve aumentar a quantidade de sono em 15 minutos cada noite, desde que durma efetivamente pelo menos 85% do tempo que passa na cama. 

 

  

Caixa de Texto 

 

I 

Imagem 

II. 

Imagem 

 

III. INSÔNIA (AGUDA, PSICOFISIOLÓGICA, PARADOXAL, IDIOPÁTICA, DEVIDO A DISTÚRBIOS MENTAIS, DEVIDO A USO DE DROGAS, DEVIDO A CONDIÇÕES MÉDICAS E OUTRAS CAUSAS INESPECÍFICAS) 

Imagem 

 

 

Caixa de Texto 

 

 

TERAPIAS 

Será ofertado ao paciente um pacote de acordo com a necessidade do mesmo, este pacote poderá variar de oito a dez sessões. As técnicas serão aplicadas gradativamente e conforme a resposta no quadro clínico.